Usuário:  Senha:        Senha Usuário   |   Register
A Origem da Nossa Logomarca Imprimir E-mail
A nossa LOGOMARCA é toda baseada no filosofia grega, senão vejamos:

1 – Anaximandro (611 a 549 a.C.) – o primeiro elemento formador do UNIVERSO para ele era a ÁGUA: ele imaginava que a terra no seu início estava na forma líquida flutuando livremente pelo espaço, aos poucos, ao se enxugar, teria produzido os seres vivos que no seu início viviam na água e mais tarde passaram para a terra.
Tales de Mileto (625-545 a.C.) – também defendia a existência de um princípio, um elemento fundamental (do grego, arché) na estrutura do universo, do qual todas as outras coisas tinham se originado. Para ele, esse princípio era a ÁGUA.
2 – Anaxímenes – o terceiro dos filósofos da natureza de Mileto (considera-se que tenha falecido em 527 a.C) considerou como matéria fundamental o AR, se bem que no sentido literal, pois por esta palavra ele entendia também a alma – como hálito vivificante, por isso ele introduziu o segundo componente fundamental do UNIVERSO, O AR.
3 – Heráclito –  nasceu por volta do ano 540 a.C., formulou a seguinte sentença: “não podemos entrar duas vezes no mesmo rio, pois entrementes novas águas fluíram, nada permanece”, lhe á atribuída e também da segunda vez nós mesmos já nos tornamos outros). A célebre frase  “tudo flui nada  permanece” (tudo muda, nada permanece), lhe unanimemente atribuída pelo sábio antigos e novos. Também Heráclito parece haver admitido uma substância fundamental, mas não a água nem o ar, como os miletianos. Ele fala de um FOGO primordial do qual, segunda uma lei eterna – “em medidas” – o arder e voltar a extinguir-se surge o mundo com seus contrastes, e no arder ele volta novamente a cair. É provável que com isto ele não esteja pensando tanto em fogo no sentido literal, mas antes num significado mais geral e transposto, poder-se-ia talvez dizer, no sentido  de uma energia primordial. Parece falar a favor disto que para ele o fogo primordial e ao mesmo tempo divino, e que uma parte do mesmo vem da alma humana.
A grande lei, segundo o qual  da única energia primordial surge constantemente a variedade, é a unidade dos opostos. Todo desenvolvimento ocorre na interação polar das forças que se opõem. “Deus é dia e noite, inverno e verão, guerra e paz, abundância e fome”. Na luta entre idéia e idéia, entre o ser humano e ser humano, entre homem e mulher, classe e classe, povo e povo, configura-se a totalidade harmoniosa do mundo. Por isso, também não seria bom para o homem chegar à satisfação de todos os seus desejos, pois é a doença que torna a saúde agradável,  o bem só aparece quando comparado ao mal, a satisfação à fome, o descanso ao esforço. ELE INTRODUZIU O TERCEIRO ELEMENTO, O FOGO.
4 – Empédocles (nascido por volta de 490 a.C.) –  na filosofia miletiana da natureza como matéria fundamental, foi declarada como matéria fundamental primeiramente a água, mais tarde o ar e por Heráclito o fogo. Entre os aleatas, o que é mais fortemente considerado como matéria fundamental é a terra. Empédocles, então, é o primeiro a colocar com iguais direitos estas quatro matérias fundamentais uma ao lado da outra, com isso despertando a consciência popular, e também entre nós, a idéia até hoje em voga dos quatro elementos: FOGO, ÁGUA, AR E TERRA, POIS ELE INTRODUZIU O QUARTO ELEMENTO, A TERRA.
Desse modo, Empédocles estabelece quatro elementos corporais, fogo, ar, água e terra, que são eternos e que mudam aumentando e diminuindo mediante mistura e separação.
Portanto, os quatro elementos é a expressão utilizada para referir-se aos elementos naturais: ÁGUA, TERRA, FOGO E AR. Essa expressão refere-se ao que seria essencial à vida humana no planeta. Se considerarmos como tipos de matéria que formam a natureza, a expressão está errada pois fogo não pode ser considerado uma matéria natural, pois trata-se do resultado de uma reação química. Também o conceito de elemento foi mudado pela Química e Física modernas. Considera-se como elemento os diferentes tipos de átomos que formam moléculas, tanto naturais como artificiais (reações induzidas pelo Homem). A água, por exemplo, se constitui na verdade em uma molécula resultante da ligação natural de dois elementos químicos: o oxigênio e o hidrogênio.
A idéia dos quatro elementos clássicos provém dos primordios da Filosofia e no Ocidente, foi ensinada no período pré-socrático, perdurou na Iade Média e chegou até o Renascimento. Mas o conceito é antigo no Oriente, tendo sido disseminado na Índia e na China, onde encontra-se na base do Budismo e Hinduímo, principalmente no contexto esotérico. Hoje em dia há quem corresponda os quatro elementos clássicos com os quatro estados da matéria: SÓLIDO, LÍQUIDO, GASOSO E PLASMA.
Voltando a nossa LOGOMARCA, nela existem os quatro elementos estabelecidos pelo Empédocles: a água, representada pelo rio; a terra, representada pela superfície terrestre; o ar, por tudo que nos envolve e o fogo, representado pelo sol.
Mário Jorge Martins.

 

Últimas Notícias

Gripe suína será como pandemias do século XX
 

Estatística

Membros : 353
Conteúdo : 246
Links da Web : 141
Visualizações de Conteúdo : 155047